Comportamento Assertivo

Você costuma dizer sim quando alguém te pede algo, mesmo quando a sua vontade é dizer não?

Quando você está numa fila de banco ou supermercado, se alguém passar a sua frente sem pedir sua permissão, como você reage?

Com que frequência você faz isso?

Muitas pessoas tem uma dificuldade enorme em dizer “não” e muitas vezes acabam se sobrecarregando, ficando estressadas, cansadas, e em casos mais drásticos, chegam a ficar doentes. Tudo porque acreditam que se falarem “não”, ou se posicionarem de forma contraria a vontade do outro, as pessoas deixarão de gostar dela e acabará ficando sozinha!

Isso não é verdade!

Ás vezes, a pessoa fica quieta, aceita uma situação muito desagradável, por que sabe que não conseguirá falar com calma e acabará brigando ou discutindo com o outro.

Seu problema está relacionado com o que chamamos de comportamento assertivo.

Mas, o que é comportamento assertivo?

Comportamento assertivo é a capacidade de expressar aos outros, o que se pensa e sente, agindo em favor de si mesmo, de acordo com os próprios direitos e respeitando os direitos dos outros. Usando tanto a linguagem corporal como o vocabulário e o tom de voz adequado, a fim de não agredir, ironizar ou até mesmo humilhar o outro.

É importante observar que a definição não especifica o tipo de pensamento ou sentimento. Há pessoas que têm uma dificuldade de expressão generalizada. Para outras, a dificuldade é restrita para expressar sentimentos e pensamentos negativos e outras podem ter maiores problemas com a expressão de sentimentos e pensamentos positivos.

Agir de forma assertiva permite sentir-se bem consigo mesmo, porque aumenta as chances de você:

  • Estabelecer relações honestas com os outros e consigo mesma;
  • Adquirir uma postura mais ativa desenvolvendo sua capacidade de decidir e agir, facilitando a obtenção daquilo que você realmente quer na sua vida;
  • Aumentar sua autoconfiança, pelo fato de ter maior controle sobre as situações do dia-a-dia;
  • Ganhar o respeito das pessoas à sua volta e as pessoas irão gostar de você pelo que você é e não pelo que faz.

 

Para isto é fundamental estar atenta às suas necessidades e aos seus direitos, e também por reconhecer que o outro tem direitos que precisam ser respeitados, a pessoa assertiva consegue lidar melhor com as situações de conflito. A mensagem subjacente é a de que você e eu podemos ter nossas diferenças, mas temos o direito de expressá-las mutuamente de forma respeitosa, na tentativa de buscarmos a melhor alternativa para satisfazer às minhas e as suas necessidades e interesses.

A assertividade não deve ser vista como característica de personalidade com a qual alguns nascem e outros não. O comportamento assertivo pode ser aprendido, mas requer disciplina e perseverança para que você possa torna-lo um comportamento habitual e natural em sua maneira de ser. O segredo é treinar. Treinar muito.

Outra ideia que precisa ficar clara é que ninguém é assertivo sistematicamente em todas as ocasiões. Por exemplo, você pode achar fácil ser assertivo com estranhos, mas ter dificuldade em ser assertivo com as pessoas mais próximas. Aprimorando o seu comportamento, você deverá ter a capacidade de ser assertivo inclusive com eles, mas poderá escolher quando e onde exercer sua assertividade.

Além do comportamento assertivo, existem duas outras formas de reagirmos às situações do dia a dia, que, diga–se de passagem, encontramos com muito mais frequência nas pessoas. São elas o comportamento agressivo e o comportamento passivo.

COMPORTAMENTO AGRESSIVO

A pessoa que se comporta de forma agressiva, possui um nível de tensão bem elevada e não consegue se controlar ao se comunicar. Seu tom de voz, geralmente é alto, quando não costuma gritar, sua postura corporal é de afronta, mantendo-se ereta, parecendo querer ser muitas vezes, mais alta do que é, costuma bater nas coisas, colocar o dedo no nariz do outro, tudo como forma de intimidar o outro. Nesse tipo de comunicação o que prevalece é a sua opinião, seus sentimentos e sempre tem o foco voltado para si mesma, não se preocupando se está transgredindo o direto do outro ou não. Utiliza-se de sarcasmo, ironia, ameaças e acusações, dificilmente dá espaço para o outro falar e dá a impressão de ser sempre superior ao outro e estar sempre certo.

Muitas vezes, ser assim pode trazer algum tipo de benefício como as pessoas cederem a seu favor, mas única e exclusivamente para evitarem mais conflito. O preço a ser pago por isso é bem alto, pois aos poucos os demais vão se afastando dessa pessoa e ela acaba sozinha e na maioria das vezes criando inimigos, o que pode complicar e muito a sua vida tanto na esfera profissional quanto no pessoal.

Geralmente este padrão de comportamento começa na infância. A criança pode ser levada a pensar que é superior aos outros, pelas próprias atitudes de seus pais ou é uma forma de reagir a sentimentos de insegurança, devido ao tratamento recebido na família, como uma defesa às agressões sofridas, por exemplo.

 

COMPORTAMENTO PASSIVO

A pessoa que reage de forma passiva é prejudicada porque está mais preocupada em agradar o outro ou evitar um conflito do que satisfazer as suas próprias necessidades. Para ela decepcionar os outros é algo com que ela não consegue conviver.

Geralmente nestas situações a pessoa passiva, tende a sentir-se errada, culpada e ansiosa, e acaba por ceder em favor do outro. Apesar de sentir-se explorada, ela evita falar do assunto, evita encontrar com certas pessoas, como forma de não enfrentar tal situação para não sofrer mais. Sua postura corporal é passiva, falando sempre baixo, não olhando diretamente o outro. Seu corpo parece estar em permanente tensão, podendo gaguejar ou até chorar muitas vezes ao falar. Procura sempre não dizer o que pensa e sente. Tudo para evitar discussões ou situações desagradáveis.

Na maioria das vezes, a pessoa passiva, aprendeu desde pequena a buscar a aprovação dos mais velhos e a não confiar em si mesma, a não acreditar no seu potencial e na sua capacidade. Depende muito da opinião do outro, o que a torna um adulto influenciável, vulnerável e facilmente manipulado pelos outros.

 

Como se tornar uma pessoa assertiva?

Como já disse anteriormente, é necessário ter muita disciplina e perseverança para se trabalhar no caminho da assertividade.

Seguem algumas dicas importantes que podem te ajudar nesse processo:

 

  1. Conheça-se bem. É muito importante ter consciência dos seus pontos fortes e seus pontos que precisam ser trabalhados, para que você possa melhorar sua autoestima e sentir-se mais seguro;
  2. Conheça seus limites e aprenda a respeitá-los;
  3. Esteja ciente de seus direitos;
  4. Mantenha a mente aberta e livre de preconceitos;
  5. Perceba suas emoções e sentimentos em cada situação, para não se perder em sua argumentação;
  6. Evite fazer suposições ou referências aos motivos do comportamento do outro;
  7. Escolha muito bem suas palavras;
  8. Atente para sua comunicação não verbal;
  9. Tenha certeza que suas colocações não foram mal entendidas;
  10. Uma vez colocadas as suas necessidades, esteja disposto a ouvir as dos outros;
  11. Seja humilde o suficiente para reconhecer quando está errado. Não tenha medo de errar e sim de permanecer no erro;
  12. Não tenha vergonha de admitir que às vezes, não sabe tudo e esteja aberto para aprender o novo;
  13. Valorize suas conquistas;
  14. Não desista de suas metas e objetivos.

 

Leave a reply